Parceiros:

Manaus Hoteis

 

 

Parceiros:

 

 

 

 

 

2010 - Dia 1, 2, 3 e 4

16/03/2010

1o dia da expedição

O grupo se reuniu na frente do hotel Veneza em Gurupi às 05:15ha e se prepararam para seguir o novo roteiro: Gurupi – Alvorada – Araguaçu – São Miguel do Araguaia – Ribeirão Cascalheira. O roteiro anterior estava cancelado devido à inundação a Ilha do Bananal. Como fazia parte do projeto à mudança de roteiro devido às intempéries o grupo seguiu por rota alternativa.


Teve inicio o trajeto, sendo que o expedicionário Coelho seguiu na frente do grupo, saindo mais cedo devido a limitação de velocidade de seus pneus no asfalto, já que teríamos 100 km pela frente. Estava iniciada a TAC 2010.



Quando o grupo chegou a cidade de São Miguel do Araguaia teve duas constatações: a primeira que não teria condições de seguir pela 080, que estava inundada e a segunda que o Coelho havia perdido um pneu tork. Novo roteiro então foi montado: São Miguel do Araguaia – Cocalinho – Serra Dourada – Ribeirão Cascalheira – Alô Brasil – Bituca – São José do Xingu. Resultando em mais de 1.000 km de alteração no traçado do roteiro, mas o importante da aventura é conhecer nosso imenso e belo pais.


Na travessia do Rio das Mortes alguns integrantes do grupo estavam cansados, mesmo quase todos fazendo trocas de condutores. Um integrante sugeriu uma parada antes do objetivo, já que a previsão de chegada a Ribeirão Cascalheira era de 22:30hs. Sugestão recusada, então precisávamos colocar o roteiro em dia. Nesse meio tempo a Fabi e o André estavam concertando o Jimny em Gurupi.



O trajeto até Ribeirão foi mais de 300 km de estrada de chão com muita poeira e buracos.

Durante o trajeto até Ribeirão Cascalheira aconteceram os seguintes fatos:

 

  • Impossibilidade de passar pelo novo roteiro, exigindo outro;
  • Pneu do Troller perdido;
  • Radiado da Band Furado;
  • Constatação de que o uso o obrigatório de rádio deverá ser restringido a rádios de painel, os HTs são ineficientes.
  • Dia de poeirão.

 

 

17/03/2010

2o dia da expedição

 

Saímos de 9:00hs de Cascalheira, não houve grandes atrasos já que já que Hercules passou a madrugada toda fazendo o reparo do radiador da Band.

A Hilux perdeu uns parafusos do protetor de aço do motor, devido a trepidação, tivemos de esperar o comercio abrir. Seguimos os mais de 580 km que nos separavam de Guarantã, todo em estrada de chão, hora boa, hora ruim!

Durante o trajeto o Rack da Ranger da Telma partiu devido a trepidação e precisamos retirar o pneu e acessórios de resgate que estavam nele e com isso perdemos alguns minutos.

 


Alguns integrantes ainda cansados do dia anterior (nem todos estão acostumados a dirigir mais de 700 km em um dia e ainda mais com 300 km de estrada de chão).

Novamente mais um dia de muito poeirão e no final chegamos em São José do Xingu ao final da tarde. Como como a balsa da reserva indígena (distante 50 km)e só fazia a travessia até às 18:00hs e além disso teríamos de prosseguir por mais de 80 km em reserva indígena (onde brasileiro não é permitido trafegar a noite) o grupo decidiu pernoitar em São Miguel do Xingu e partir cedo para Guarantã do Norte, onde um grupo de amigos do Jeep Club espera para um churrasco de peixe.

 

Fatos do Dia:

  • Poeirão por mais de 230 km;
  • Trafego de carretas com soja no meio do poeirão, muitas vezes deixando completamente as cegas o grupo;
  • Pernoite em São José do Xingu.

 

18/03/2010

3o dia da expedição

 

Às 7:30 hs da manhã o grupo saiu em direção a balsa dos índios da reserva do Xingu, deixando para trás mais uma cidade, São José do Xingu. O Trajeto de 290 km aproximadamente até Guarantã do Norte, levou cerca de 8 horas e meia e com muito poeirão. O Argentino Eladio e sua esposa Glenda sofreram muito com a falta de arcondicionado em seu veículo.

Durante o trajeto o movimento da estrada, MT322, ficou intenso, muitos caminhões nas curvas de estrada de chão, deixou um pouco tensa a viagem. Principalmente nos locais de pontes de madeira, que além de passar somente um veículo por vez eram castigadas pelos veículos. Um carreta passou em velocidade e quebrou uma ponte, mas passamos com cuidado.

 

fotos dos participantes

O grupo cansou durante o deslocamento, muitos buracos e poeira, exigiu muito dos condutores, mas a recompensa estava a caminho. Chegando a Guarantã fomos recepcionados pelo Jipe Clube local, entre os responsáveis pela estadia na cidade estavam o David, o Renê e outros jipeiros da região.

A Secretaria de Turismo de Guarantã, na figura da Valeria e do Renê, ofereceram um churrasco fantástico de peixes para os participantes. Todos os vinte e um expedicionários presentes foram, a Fabi e o André ainda não haviam chegados. A farra se estendeu até às 22:00 hs, quando retornamos ao Hotel Sedna, belíssimo hotel na entrada da cidade, com uma grande estrutura para receber os viajantes, além dos ótimos quartos e um belo café da manhã para renovar as energias.

 

Principais fatos do dia:

  • Mais um dia de poeirão;
  • Travessia do Rio Xingu por balsa na reserva Indígena do Xingu (valor da balsa: 50 R$!);
  • Estrada perigosa devido ao movimento de caminhões e pontes de madeira;
  • Mais um dia com problema de comunicação com os rádios HT.
  • Chegada a Guarantã do Norte e recepção com um churrasco de Peixe.

19/03/2010

4o dia da expedição

Após uma noite regada a peixes da região, cervejas e refrigerantes, o grupo aproveitou a sexta-feira para fazer a manutenção dos veículos, passearem, descansar e a aproveitar um churrasco feito pelo Ney e pelo Rato, além do sucesso da “Bebida da Paz”, uma alusão ao “cachimbo da paz”.

A “bebida da paz” foi um divisor entre os fracos e os corajosos. Preparada com Vodka, limão e ingredientes especiais, criados pelo Ney e servida em uma jarra de madeira compartilhada por todos.

A sensação do dia foi à chegada do Jimny com a Fabi e o André. Chegaram por volta das 15:00hs são e salvos e com o valente Jimny pronto para se juntar ao grupo.

Além da Fabi e do André o Jeison, grande amigo de Nova Mutum se deslocou 1.000 km para conhecer a trupe e reencontrar os amigos da Organização. Uma grande visita, que foi um grande presente de um grande amigo.

Enquanto uns se divertiam outros trabalhavam em seus veículos. A maior parte precisou apenas lavar, soprar os filtros de ar e arrumar a bagunça, mas outros tiveram algumas intervenções:

  • Toyota Bandeirantes (Jeguinho): Colocação de mais um feixe de mola para levantar a traseira, que estava quase sem fim de curso e resolução de alguns problemas elétricos.
  • Mitsubishi Triton: Conserto da caixa elétrica do guincho que partiu com a trepidação, troca dos dois amortecedores traseiros por de L200 Outdoor, já que não existe nem nas concessionárias da região e nem em Cuiabá. Colocação de mais um feixe de mola na traseira para melhorar a altura livre e poder colocar o amortecedor da Outdoor, já que é maior do que o original da Triton. Esperamos que agüente mais que o original. Outro item da revisão foi à troca Lâmpada farol esquerdo.
  • Troller Branco: Colocação de um calço traseiro para lift de 2,5”, o peso e a estrada ruim estavam quase estourando os batentes.
  • Toyota Hilux Argentina: concerto do ar-condicionado.
  • Ranger: conserto do rack “tabajara”.
  • Troller Cinza: Compra de dois pneus 33” MUD para seguir e deixar os modelos Super Tork, que não são indicados para grandes deslocamentos, em Guarantã e enviá-los posteriormente para o Rio. Adaptação de dois amortecedores de mercedinha no local de um amortecedor Rancho que estourou devido ao peso e a estrada esburacada.
  • Jimny com freio baixo, mas não fora constatado nenhum problema.
  • Toyota Hilux da Organização: Alinhamento e compra de parafusos para roda de aço, os da rodas de alumínio estavam folgando na trepidação. Durante o alinhamento foi trocado um terminal de direção que apresentava uma pequena folga e por ser ainda original e estar com 220 mil km foi trocado.
  • 2 Mitsubishi L200 Outdoor: reaperto geral.

 

O restante do dia foi de confraternização do grupo. Para a organização foi um dia da trabalho e reuniões com a Prefeitura de Guarantã do Norte para 2011 trazer o Branches of Hell.

Durante a reunião com a equipe e a secretária de turismo da cidade, teve inicio o planejamento do maior rally de sobrevivência das Américas em região de floresta. A cidade de Guarantã está em negociação com a organização para sediar o grande evento off Road de proporções internacionais.

 

 

<< Voltar || Continua ... >>

 

 

Indice

 

  • 2010 - Início da Expedição
  • 2010 - Dia 1, 2, 3 e 4
  • 2010 - Dia 5, 6 e 7
  • 2010 - Dia 8 e 9
  • 2010 - Dia 10, 11 e 12
  • 2010 - Dia 13, 14, 15 e 16
  • 2010 - Final da Expedição
  • 2010 - Considerações Finais
  • 2010 - Do grupo TAC 2010
  • 2010 - Visão estrangeira da floresta amazônica
  •  

    Apoio:

    Diversom

     

     

     

     

    Parceiros:

     

     


     

     

     


    Últimas Notícias

    Momentos TAC4x4

    Loading images
    loading
    TAC200801 TAC200802 TAC201001 TAC201101 TAC201102 TAC201103 TAC201104 TAC201201

    Desenvolvido por David Marcelino Solucoes em Internet.