Parceiros:

Manaus Hoteis

 

 

Parceiros:

 

 

 

 

 

Edição 2010

Diário de bordo da Edição 2010 da Transamazônica Challenge.



2010 - Considerações Finais


Considerações finais - Transamazônica Challenge 2010 por Sérgio Holanda.

 

Como poderia definir em uma palavra o projeto Transamazônica Challenge 2010 que não seja SUCESSO!!!

 

Foram meses de planejamento, correria, problemas na família, no trabalho e quase uma desistência final para 2010, mas existia um compromisso pessoal, profissional e principalmente uma paixão avassaladora pela aventura.

 

Em alguns meses tivemos 198 inscritos, claro que muitos são fogo-de-palha, mas isso demonstrou o sucesso do projeto em anos anteriores e como o Transamazônica Challenge está na mídia off Road do Brasil e lá fora. Existiam 6 vagas a serem preenchidas, já que as outras 4 estavam fechadas desde antes do termino do projeto 2009. A batalha pela qualificação dos 20 finalistas foi grande, os critérios eram diversos e ainda por cima a observância dos desejos pessoais pela aventura. Isto em troca de e.mails e conversas por telefone.

 

Grupo fechado, troca de e.mails entre os participantes para começar o entrosamento. No mês de Janeiro existiu uma desistência e com isso entrou o primeiro da fila de reserva. Em fevereiro outras desistências, ambas foram por problemas de trabalho e ai entrou no grupo a dupla de italianos, Matteo e Roberto, estava finalizado grupo.

 

Então tínhamos 11 veículos, 10 participantes e 1 veículo da organização. No dia 15 de Março começaríamos nossa expedição em Gurupi, mas devido a um problema técnico em um dos veículos adiamos nossa saída para o dia 16 de madrugada. A dupla do Jimny (Fabi/André) ficou para resolver o problema e nos encontrar em Guarantã do Norte, primeira parada para verificação dos veículos e termino da primeira-fase da expedição, que ficou divida em três fases:

 

- Primeira-fase: encontro do grupo e deslocamento até Guarantã do Norte;
- Segunda-fase: deslocamento de Guarantã do Norte até o 150. Trecho mais off Road e desafiador do projeto 2010;
- Terceira-fase: deslocamento do 150 até Marabá (finalização do projeto)

 

O deslocamento até Guarantã do Norte foi de muita poeira, com um desvio grande do trajeto original, uma vez que a Ilha do Bananal estava com as estradas inundadas o que seria impossível de passar com qualquer veículo. Descemos até Cocalinhos e depois subimos para Guarantã do Norte pela BR 080. O trecho de muita poeira e buracos onde fizemos muitos quilômetros por dia. Alguns dos participantes reclamavam de tamanho deslocamento e pela falta de tempo para descanso, mas o objetivo era chegar a Guarantã e o regulamento informava como seriam os dias de deslocamento, por isso pé no porão! (parafraseando o Carlinhos 100%, amigo de Recife e off Road porra-louca!)

 

Todos os participantes não viam a hora de enfrentar os desafios, a lama e tudo aquilo pelo que vieram, mas este trecho da primeira fase não prometia isso, no máximo poças d’água.

 

Chegamos a Guarantã do Norte, revisão geral e diversão até a chegada da dupla do Jimny. Enquanto isso, fomos muito bem recebidos pelo pessoal da região, em especial o Davi (do Jeep Clube de Guarantã do Norte). Partimos em direção à grande aventura, ao real motivo do nome Challenge.

 

Partimos em direção a Guariba, no caminho Alta Floresta onde encontramos o Dino e pegamos algumas informações sobre o trajeto a frente. Foi em Alta Floresta que nosso grupo se despediu do Argentino Eládio e sua esposa Glenda, eles não seguiriam com o grupo, precisou voltar para Córdoba, o trabalho chamava.

 

Seguimos para pernoitar em Nova Monte Verde. No hotel tivemos uma reunião sobre o que nos esperava pela frente, bem como as regras que deveríamos seguir. Após esta reunião alguns participantes, receosos com o que viria pela frente, sem contatos via telefone e internet, bem como a possibilidade de terem seus veículos seriamente danificados e impossibilitados de serem resgatados momentaneamente, resolveram abortar a segunda-fase. Além desse grupo um dos veículos participantes teve de retornar por problemas de saúde na família. O que ficou disso tudo foi à amizade de um grupo entrosado e das brincadeiras, que depois foram mais debochadas pela partida.

 

O grupo agora era formado por cinco veículos, a organização e mais quatro. Partindo de Nova Monte Verde em direção a Colniza e de lá Guariba para enfrentarmos nosso grande desafio – Estrada do Estanho! Foram os dias mais estressantes, perigosos e tensos da expedição. Estes cinco dias entre Guariba e o Rio Machadinho, ida e volta, foram os mais emocionantes de toda expedição, e ainda pudemos contar com mais dois veículos, uma L200 e uma Triton, ambas da família Neves, comandada pelo meu amigo Alcyr.

 

Sim, fomos até o Rio Machadinho e voltamos, não era possível passar, mas quer saber? No final foi mais emoção, reconstruir as pontes novamente e refazer o trajeto. Valeu todos os quilômetros rodados! O tedioso foi refazer Guariba – Guarantã do Norte e pegar a BR 163 (Cuiabá – Santarém), mas quer saber, todos adoraram fazer a 163, mesmo não tendo atoleiros, mas conheceram outra parte do Brasil.Conhecemos no caminho para Santarém a maior base de treinamento da força aérea brasileira e uma das maiores do mundo, além das belezas naturais da região.

 

Alter do Chão para descansar e recarregar as baterias. Alguns dos integrantes, o David e o George precisaram voltar para casa mais cedo e não tiveram este descanso merecido. Em Alter conhecemos um grupo de Jipeiros de Teresina que se juntou a nosso grupo e enfrentamos a Trans-Uruará juntos, um pouco mais de off Road para fechar com chave de ouro a TAC 2010. Despedimos-nos em Marabá e no final um gostinho de quero mais!


Agradecimentos –

 

Agradeço a todos os verdadeiros jipeiros que cruzaram nosso caminho e como todo grande jipeiro foram mais do que amigos, foram irmãos! . Ao David que retirou os pneus do seu jipe para o Troller do Coelho, além de preparar uma grande recepção em Guarantã, ao grande Dino que em Alta Floresta em pleno domingo a noite providenciou o concerto e a compra de um amortecedor para o Jimny, além de todos os outros que cruzaram nosso caminho e puderam mostrar o quanto é grande o coração dos homens que vivem nesse imenso e amado País. Agradeço aos nossos patrocinadores que acreditaram no projeto, principalmente aos que investiram mais do que dinheiro, investiram confiança: IRONMAN BRASIL, ARMAZÉM 4X4, CENTRO MÉDICO CAMOI, CHAMA, e demais colaboradores. Aos parceiros de mídia: REVISTA PLANETA OFF ROAD, CROSS BRASIL, INEMA, EKUIPA, 4X4 MAGAZINE, VÍDEO OFFROAD.COM, MOTORES E AÇÃO, entre outros sites e blogs.

 

 

 

 << Voltar     ||    Continua ... >>

Indice

 

  • 2010 - Início da Expedição
  • 2010 - Dia 1, 2, 3 e 4 
  • 2010 - Dia 5, 6 e 7
  • 2010 - Dia 8 e 9
  • 2010 - Dia 10, 11 e 12
  • 2010 - Dia 13, 14, 15 e 16
  • 2010 - Final da Expedição
  • 2010 - Considerações Finais
  • 2010 - Do grupo TAC 2010
  • 2010 - Visão estrangeira da floresta amazônica
  •  
    « InícioAnterior12345678910PróximoFim »

    Página 8 de 10

    Apoio:

    Diversom

     

     

     

     

    Parceiros:

     

     


     

     

     


    Últimas Notícias

    Momentos TAC4x4

    Loading images
    loading
    TAC200801 TAC200802 TAC201001 TAC201101 TAC201102 TAC201103 TAC201104 TAC201201

    Desenvolvido por David Marcelino Solucoes em Internet.